Hora certa:
 

Artigos

Codeína é muito arriscada para crianças, dizem especialistas, pedindo restrições de uso

A codeína é prescrita a pacientes pediátricos há muitas décadas como um analgésico e um medicamento para alívio contra a tosse
 
 
A Academia Americana de Pediatria, AAP, está exortando pais e profissionais de saúde a pararem de dar codeína para as crianças, destacando que é preciso mais conscientização sobre os riscos e as restrições da droga em pacientes com idade inferior a 18 anos. Um relatório clínico, publicado no Pediatrics, “Codeína: hora de para dizer 'Não'”, destaca o uso continuado da droga em ambientes pediátricos, apesar das evidências crescentes que ligam o analgésico a reações respiratórias fatais ou mortais.
 
A codeína é uma droga opiácea, que por décadas foi usada em medicamentos para dor e em fórmulas contra a tosse, vendidos sem receita médica. O problema é que a codeína é convertida pelo fígado em morfina. Devido à variabilidade genética na rapidez com que o corpo de um indivíduo processa a droga, o medicamento fornece alívio inadequado para alguns pacientes, ao mesmo tempo em que tem um efeito muito forte sobre outros. “Certos indivíduos, especialmente crianças e aqueles com apneia obstrutiva do sono, são ‘metabolizadores ultra-rápidos’ da droga e podem apresentar taxas de respiração severamente retardadas ou até mesmo morrer após tomar  doses padrão de codeína”, afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski (CRM-SP 36.349).
 
Apesar destes riscos bem documentados e com as preocupações expressas por diversas entidades médicas e de saúde, incluindo a AAP, a Food and Drug Administration, dos EUA, e a Organização Mundial de Saúde, a droga ainda está disponível, sem receita médica, em fórmulas de medicamentos para tosse em 28 estados americanos. Além disso, de acordo com o relatório AAP, a droga ainda é comumente prescrita para crianças após procedimentos cirúrgicos, como a remoção de amígdala e de adenoide. Mais de 800.000 pacientes, com menos de 11 anos, receberam prescrição de codeína entre 2007 e 2011, de acordo com um estudo citado no relatório da AAP. Os otorrinolaringologistas são os prescritores mais frequentes de formulações líquidas de codeína / acetaminofen (19,6%), seguidos por dentistas (13,3%), pediatras (12,7%) e médicos de clínica geral / família (10,1%).
 
“O novo relatório clínico descreve alternativas potenciais para fornecer alívio da dor em crianças, mas reconhece que poucos medicamentos seguros e eficazes estão disponíveis para uso pediátrico. O manejo efetivo da dor em crianças continua desafiador porque  seus corpos processam as drogas de forma diferente do que os adultos”, destaca o pediatra, que é membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo.
 
 
O relatório da AAP sugere que é preciso uma melhor educação dos pais e dos profissionais de saúde sobre os riscos do uso de codeína, além de restrições formais de seu uso em crianças. Isso sem contar com pesquisas adicionais sobre o tratamento seguro e efetivo da dor em crianças.
 
Moisés Checinski 
 
CONTATO:
Site: http://www.drmoises.com.br
 

Artigos

ver tudo

Banner SBH

Banner Snifbrasil

Banner DPM


SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 3.234.245.125 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)