Hora certa:
 

Artigos

Prótese de mama não é a solução para mamas flácidas

Dra Luciana Pepino              
O Brasil é um dos países que mais realiza cirurgias plásticas no mundo. A mastoplastia de aumento, ou prótese de mama, é a cirurgia mais comum feita entre as mulheres hoje em dia. Isso porque os padrões de beleza atuais ditam que a mulher, ao contrário de antes, deve ter seios maiores. Então a prótese de mama é a cirurgia mais indicada.
O problema ainda é a falta de informação, pois ter seios perfeitos, não se resume somente ao aumento do mesmo com próteses de silicone. Existem outras duas cirurgias plásticas de mama, que, muitas vezes, são fundamentais para a obtenção de uma estética mamária adequada.
Muitas mulheres com seios flácidos, acabam achando que a colocação da prótese de silicone, acabará com todos os seus problemas. Mero engano!!! Isso não acontece!
Próteses colocadas em mamas flácidas viram mamas grandes e flácidas depois de alguns meses, pois a função da prótese é preencher um tecido vazio e se existe flacidez, é necessário que a mulher faça primeiro uma Mastopexia (nome da cirurgia plástica indicada para levantar seios flácidos),  cuja função é a retirada da pele excedente para promover o levantamento das mamas. Nesse caso, se ela ainda desejar, a prótese pode ser colocada no mesmo ato cirúrgico ou depois, a critério do médico e da paciente.
Outra cirurgia plástica para mamas e que é bem comum, é a mastoplastia redutora, indicada para a redução das mamas. Geralmente, essa cirurgia, quando indicada, além de melhorar o aspecto estético da mama, também previne  problemas causados por mamas muito grandes.
Felizmente, nos três tipos de cirurgias, as  cicatrizes ficam bem disfarçadas. Qualquer mulher, mesmo acima do peso pode fazer a mastopexia, mas se houver grande perda de peso depois,  a mama pode cair novamente. No caso de gravidez, para quem fez a mastoplastia de aumento, os cuidados são os mesmos e na amamentação ela também não será prejudicada, pois a prótese é colocada por baixo da glândula mamária ou do músculo.
Quanto ao volume, esse  é discutido e escolhido no consultório. São avaliados altura, largura do tórax e peso da paciente, de forma que a nova mama entre em harmonia com o restante do corpo. É muito comum chegarem para a consulta desejando um volume semelhante ao da amiga, que ficou bom, mas nem sempre cairá bem em outro corpo.
Em todas estas cirurgias são utilizadas  anestesia local com sedação assistida. O pós-operatório geralmente não é dolorido, desde que a paciente  obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer dor, que facilmente cederá com os analgésicos receitados.
Certamente, a satisfação física e emocional de um paciente que passa por essas cirurgias vale todo esforço, pois o modo com que o paciente passará a encarar a vida, a confiança e  a autoestima que ele terá depois do procedimento, não tem preço! O importante é procurar uma boa clínica e um cirurgião plástico capacitado e com experiência para que o resultado seja satisfatório.  

 Dra Luciana Pepino é Médica e Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP.
 
 
                                                 
 

SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 34.204.186.91 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)