Hora certa:
 

Artigos

Exercício físico na dose certa é arma poderosa para tratamento da osteoporose

Dr. Benjamin Apter
A perda da massa óssea é uma consequência natural do envelhecimento. Em níveis elevados pode gerar uma doença, a osteoporose. Com os ossos enfraquecidos a probabilidade de fratura aumenta. É uma enfermidade silenciosa, geralmente o paciente só é diagnosticado quando faz exames preventivos de rotina ou quando sofre uma ou mais fraturas.
O mais grave é a difícil recuperação após a quebra do osso. Estudos divulgados pela International Osteoporosis Foundation – IOS (Fundação Internacional de Osteoporose) apontam que fraturas no quadril são invariavelmente associadas com dor crônica, redução de mobilidade, incapacidade e aumento do grau de dependência. De acordo com a idade, estado clínico e gravidade da fratura podem ocorrer complicações e óbito.
Ao contrário do que se possa imaginar, uma pessoa portadora de osteoporose pode praticar exercícios físicos para diminuir a progressão da doença, evitar quedas e suas consequências. A osteopenia é um estágio anterior à osteoporose e neste caso exercícios regulares podem prevenir a progressão para osteoporose.
O efeito pisoelétrico, que é a troca de cargas positivas e negativas entre a superfície e a parte interna do osso, é um fator determinante na fixação do cálcio. Este efeito é obtido quando ocorre a compressão do osso. Pode ser gerado através de exercício de impacto ou simples compressão óssea, como acontece com o fortalecimento muscular. Exercícios com impacto são contraindicados para portadores de osteoporose devido ao risco de fratura.
O importante é que o paciente procure uma academia especializada com programa de exercícios e profissionais habilitados a oferecer programas específicos para portadores de osteoporose, pois o acompanhamento adequado é ideal para uma recuperação satisfatória da mobilidade sem envolver riscos.
Para os jovens que ainda não sofrem com a doença, a melhor forma de prevenção é aliar alimentação rica em cálcio, principal mineral utilizado pelo corpo para a composição do osso, com a prática de exercícios físicos.
O excesso de esportes também pode contribuir para o aparecimento precoce da osteoporose, pois nos casos de over training ocorre um desequilíbrio hormonal que prejudica a fixação do cálcio nos ossos.
As mulheres precisam ter cuidado extra com a doença, pois fazem parte do grupo de risco. Com a menopausa, a perda do hormônio estrógeno é maior. Como uma das funções dele é auxiliar a fixação de cálcio no osso, a falta ou diminuição da sua concentração prejudica a retenção do mineral.

Dr. Benjamin Apte é Médico especialista em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício

SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 18.206.177.17 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)