Hora certa:
 

  • Addera mar-20

Atualidades

Informações sobre o uso de anticoncepcional oral - Dra. Taluana Franchi Rizzo

Muitas mulheres hoje em dia  tomam pílula anticoncepcional para evitar uma gravidez indesejada, mas até hoje ainda existem várias dúvidas a respeito do uso desse medicamento de uso contínuo, que começou a ganhar popularidade na década de 60. Tomar pílula faz mal? Como saber qual a pílula mais adequada? O contraceptivo pode atrapalhar na hora de engravidar? Essas e outras questões relacionadas ao tema ainda permeiam o cotidiano feminino. 

A Dra. Taluana Franchi Rizzo, ginecologista, esclarece algumas das dúvidas que costumam surgir em consultório:

Tomar pílula faz mal? Como qualquer outro medicamento, o anticoncepcional pode causar efeitos colaterais, como dor de cabeça, inchaço, enjoos, entre outros. Por isso, deve ser usado com critério, e sempre sob orientação médica. Os efeitos colaterais estão relacionados ao tipo de hormônio que compõe a pílula usada, e os efeitos dessa droga em cada organismo. Caso a mulher comece a tomar uma pílula e sofra algum tipo de reação, deve avisar seu médico para que possa orientá-la. 

Como escolher a melhor pílula? A escolha do contraceptivo mais adequado deve levar em conta diversos fatores, tais como doenças crônicas (hipertensão, entre outras), antecedentes pessoais, tabagismo e inclusive fatores como ocorrência de cólicas e tendência ao inchaço. A indicação também está relacionada à idade da paciente e até a alguns desejos da mesma, como a melhora da oleosidade da pele e da acne por exemplo. Por isso, quem recomenda a melhor opção para a mulher é o médico ginecologista, após fazer uma avaliação do histórico da paciente, e nunca a própria paciente por conta própria.  

É preciso dar pausas no uso? Há médicos que ainda defendem que é preciso parar de tempos em tempos, mas a tendência mundial hoje é optar pelo uso contínuo, de até quatro cartelas, sem interrupção. Muitas mulheres optam por não menstruar, devido ao intenso ritmo de vida e à melhora da qualidade de vida, já que ela não terá cólicas nem TPM, por exemplo. Por isso, muitos anticoncepcionais já são formulados para proporcionar a interrupção menstrual. Em alguns países, como os Estados Unidos, já existem cartelas à venda com 84 comprimidos. Segundo a médica, hoje o uso ininterrupto é considerado seguro pela medicina, desde que seja feita uma avaliação e o controle regular junto ao ginecologista.

A mistura de anticoncepcional e cigarro causa riscos? A combinação é considerada perigosa, pois há maior risco de ocorrência de trombose. Em geral, recomenda-se que mulheres que fumam e têm mais de 35 anos de idade não tomem pílula anticoncepcional.  No entanto, a médica ressalta que o risco de trombose está ligado ao uso de qualquer anticoncepcional, independentemente da idade da mulher, mas obviamente cresce quando associado ao tabagismo e na mulher com idade superior aos 35 anos e uso de 15 cig/dia.

O uso da pílula pode atrapalhar na hora de engravidar? De acordo com a especialista, tomar anticoncepcional não afeta a fertilidade, pois logo após parar de utilizar a pílula, a mulher já volta a ter ciclos ovulatórios. O retorno à fertilidade está relacionado à meia vida (tempo de ação da droga no organismo) da pílula, e as pílulas atuais têm meia vida de no máximo 48 horas. Ou seja, apenas 48 horas após parar a pílula a mulher já pode ovular. Com isso, não é por que utilizou o método que a mulher terá dificuldades para engravidar. 

 

Artigos

ver tudo

Banner SBH

Banner Snifbrasil

Banner DPM


SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 18.207.254.88 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)