Hora certa:
 

Atualidades

Mitos e verdades sobre varizes

Se o paciente se preocupa com a saúde das suas pernas, certamente, já deve ter pesquisado o que pode causar varizes e entendeu que o incômodo com a presença delas vai além da questão estética. Se não forem tratadas, podem se agravar e se tornar um fator de risco para problemas de saúde. Portanto,é importante que o médico saiba orientá-lo durante a consulta.

Segundo o cirurgião cardiovascular, Dr. Marcelo Sobral, as varizes de causa primária são em decorrência de herança genética e estilo de vida, como, por exemplo, ficar muito tempo sentado ou em pé.

Muitas das informações que se encontram na internet e também que são compartilhadas boca a boca sobre as varizes, acabam não sendo verdadeiras. Por isso, é importante sempre buscar fontes confiáveis e conversar com o seu médico para receber as orientações corretas. Veja abaixo alguns mitos e verdades sobre as varizes.

• Calças apertadas - mito

Segundo o Dr. Marcelo Sobral, cirurgião cardiovascular, a roupa tem que estar muito apertada ao ponto de impedir o retorno do sangue ao coração. Além disso, ela tem que ser usada continuamente para influenciar de alguma maneira no desenvolvimento da doença.

Para outros profissionais da área, o uso é mais questão do gosto pessoal, pois não existe relação com o funcionamento dos ductos sanguíneos.

• Calor - Verdade

Altas temperaturas dilatam os vasos sanguíneos, o que acaba promovendo mais inchaço nas pernas de quem já tem varizes. Aqueles que não tem, podem acabar desenvolvendo.

• Salto alto - Mito

Dr Marcelo Sobral afirma que o salto alto não entra como causador de varizes. Existem relatos de mulheres que se sentem bem quando utilizam, mas também, depoimentos daquelas que não aguentam de dor ou sensações como pernas pesadas.

• Anticoncepcional - Verdade

As pílulas anticoncepcionais, especialmente as que contêm estrógenos em sua composição, são um fator de risco conhecido para o desenvolvimento de doenças vasculares, em particular as varizes de membros inferiores e a trombose venosa profunda. Os hormônios alteram a permeabilidade vascular e a viscosidade do sangue e, como consequência, facilitam o surgimento de alterações na coagulação, além de provocar vasodilatação.

As mulheres que tomam anticoncepcionais devem conversar com seu ginecologista e procurar um angiologista, já que o uso das pílulas é um fator de risco para as varizes.

• Depilação - Mito

A cera quente tem ação superficial. Nas peles muito sensíveis, pode-se observar vermelhidão local temporária e alguns vasinhos superficiais podem ser lesados, principalmente no rosto. Já nas pernas, as veias ou micro vasos ficam localizados muito abaixo da camada de gordura da pele, onde os efeitos da cera não podem chegar.

• Ficar em pé - Verdade

Passar longos períodos em pé, seja no trabalho ou numa fila de espera, pode contribuir para o aparecimento das varizes. Isso ocorre porque a contração da musculatura da perna é um dos fatores que auxiliam o retorno do sangue dos membros inferiores de volta para o coração. E quando estamos nessa posição, devido à gravidade, há uma dificuldade natural para o retorno venoso, ainda mais se a musculatura não está em uso.

Mais atenção e mudanças no estilo de vida são fundamentais para aliviar os sintomas das doenças venosas crônicas. "Para prevenção, esteja sempre atento ao seu corpo, mantenha uma alimentação equilibrada, pratique atividades físicas com regularidade e evite ficar na mesma posição durante muito tempo. Se possível, colocar as pernas no final do dia na altura do coração para facilitar o retorno e aliviar a pressão venosa também é ótimo", explica o Dr. Marcelo Sobral acrescentando: "Além da prevenção, o mercado conta com medicamentos super modernos, com tecnologia diferenciada, indicados para alívio rápido e efetivo dos sintomas da insuficiência venosa crônica (IVC)."
 

SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 18.206.177.17 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)