Hora certa:
 

  • Jornal SBC

Atualidades

ESPINHAS: MITOS E VERDADES


 

Problema que atinge 90 % dos adolescentes pode aparecer em qualquer estágio da vida após a puberdade
 
“Chocolate dá espinhas?” Esta é a principal dúvida que se houve por aí a respeito de um problema que estampa o rosto de muitas pessoas, principalmente, durante a puberdade: as espinhas. A acne é uma doença do folículo piloso, causada quando ocorre fechamento dos poros, aumento da produção e alteração da composição do sebo e consequente proliferação bacteriana. Alguns indivíduos podem passar a adolescência sem qualquer sinal da doença, porém a maioria deles possui tendência genética e pode sofrer dias, meses e até mesmo anos por causa de espinhas e cravos, que podem aparecer em qualquer estágio da vida do ser humano.
Segundo a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço, o processo de formação e seu aparecimento começam na fase da puberdade porque os hormônios influenciam na produção das glândulas sebáceas. “Essa glândula produz o sebo, que, quando acumulado dentro do poro, resulta na proliferação da bactéria causadora das espinhas”, explica.
É possível, entretanto, tomar mais alguns cuidados que ajudam a atenuar a gravidade do caso.  A seguir, a Annia fala sobre mitos e verdade desse mal que tanto incomoda as pessoas:
 
Acne é coisa só de adolescente Mito.
 Após a puberdade, a acne pode aparecer em qualquer etapa da vida do ser humano, pois depende do estímulo hormonal de cada pessoa e da produção das glândulas sebáceas, além de outros motivos. Algumas mulheres têm alteração hormonal resultante de ovário policístico e é importante diagnosticar o quanto antes.
 
Existem tratamentos que podem acabar com a acne para sempre Verdade. Alguns remédios podem acabar com o problema de vez. Todos eles são receitados pelo médico e a chance de cura chega a 85. Mas é importante o diagnóstico de um especialista, pois os tratamentos variam de pessoa para pessoa.
 
Comer chocolate dá espinhas Mito.
Estudos recentes mostram que uma dieta rica em carboidratos de alto índice glicêmico – como doces, pães e biscoitos – levam a uma alteração na resistência à insulina, o que estimularia o aparecimento da acne. Entretanto, essa relação é hormonal e indireta, pois a gordura que comemos não vai para a pele.
 
A acne pode durar a vida inteira Verdade.
Homens e mulheres podem desenvolver acne de todos os tipos e em qualquer idade após a adolescência. Por isso é indicado tratá-las sempre, para evitar que ela deixe cicatrizes no corpo, principalmente no rosto.
 
Qualquer creme ou gel anti-acne resolve o problema Mito.
O uso de produtos oleosos como cremes e filtros solares não adequados promovem o aparecimento ou pioram o quadro de acne. São indicados géis com ácidos salicílico, retinóico e glicólico, sob orientação do dermatologista. Para a limpeza, deve-se usar sabonetes desengordurantes, mas não em excesso.
 
Apertar a espinha pode causar danos irreversíveis na pele Verdade.
Ao apertar a espinha, corre-se o risco de aumentar a inflamação e deixar uma cicatriz ainda maior que pode ser permanente.
 
Dra. Annia Cordeiro Lourenço é Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1995. Fez residência em Dermatologia na Santa Casa de Curitiba e especialização na mesma área na Sociedade Brasileira de Dermatologia. Além disso, fez estágios em hospitais de Miami e Barcelona. Atualmente, atende em seu consultório, localizado na Avenida Silva Jardim, 2.042, no Batel.
 
 

Artigos

ver tudo

Banner SBH

Banner Snifbrasil

Banner DPM


SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 3.229.122.219 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)