Hora certa:
 

Noticias

Desnutrição nos hospitais eleva custo em 300%

Pacientes oncológicos, idosos e com infecções são os que mais sofrem de desnutrição clínica nos hospitais de todo o mundo. A questão é grave no Brasil e tem chamado a atenção de cientistas por causar muito sofrimento aos doentes, acarreta na interrupção do tratamento, leva à morte precoce, além de aumentar os custos hospitalares. Esse quadro poderia ser revertido com mais inteligência de recursos e alta tecnologia na terapia nutricional.  

Publicado em inglês na revista espanhola Nutrición Hospitalaria, o Position Paper Desnutrição Hospitalar e no Domicilio e Terapia Nutricional no Brasil. Estratégias para melhorias: documento síntese, informa, na análise de um dos seus 49 estudos de 18 países, que pacientes desnutridos aumentaram os custos em 60,5% na internação. No entanto, considerando o uso de medicamentos e diagnósticos, os custos hospitalares apresentaram aumento de até 308,9% quando comparados com a internação de pacientes bem nutridos. 

O Position Paper foi coordenado pelo cirurgião geral Dan L. Waitzberg, professor associado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, diretor presidente do Grupo de Nutrição Humana (GANEP), também coordenador da Comissão de Nutrição Clínica do Complexo Hospital das Clínicas, da Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional do ICESP e da Residência Médica de Nutrologia do Hospital das Clínicas.  

O documento síntese informa que, em 2016, um estudo latino americano  apontou que a desnutrição atinge de 40% a 60% dos pacientes que dão entrada em hospitais da América Latina. Para Dan, o problema é antigo e se houvesse mais investimento na tecnologia seriam vários os benefícios. 

Em 1996, o diretor do GANEP conduziu o Inquérito Brasileiro de Avaliação Nutricional Hospitalar (IBRANUTRI), um estudo abrangente sobre o estado nutricional de pacientes internados em hospitais de todo o Brasil. Revisada, a  pesquisa constatou que a desnutrição atinge metade dos pacientes hospitalizados e também os afeta posteriormente, ao serem tratados em casa, onde os mesmos sofrem o impacto da negligência no cuidado nutricional, aumentando sua readmissão hospitalar. 


O documento lembra ainda um estudo francês que destaca que os indivíduos tratados nutricionalmente têm, em média, a permanência hospitalar reduzida para aproximadamente dois dias (ou 13% do tempo de internação) e redução de 35% complicações. 

De acordo com Dan, a reversão deste quadro exige o melhor manejo nutricional deste paciente, engloba a orientação de equipe de terapia nutricional, a adequação de toda a alimentação, o acréscimo de suplementos nutricionais sempre que necessário (hoje o SUS não cobre.)
 

Artigos

ver tudo

Banner SBH

Banner Snifbrasil

Banner DPM


SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 54.156.92.243 | CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/)