Hora certa:
 

Noticias

Dez milhões de brasileiros sofrem de osteoporose

Cerca de 10 milhões de mulheres e homens brasileiros sofrem de osteoporose segundo a Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), mas apenas 20% estão cientes que têm a doença, que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e provoca o aumento do risco de fraturas. Em países em desenvolvimento, a incidência deve aumentar consideravelmente nos próximos anos, por conta do envelhecimento rápido da população.

Segundo o reumatologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Guilherme Laranja, a osteoporose acomete uma em cada três mulheres com mais de 65 anos e um em cada cinco homens acima dos 70 anos. Pulsos, coluna vertebral e fêmur costumam ser as partes do corpo mais afetadas.

“A deficiência de estrogênio, hormônio feminino, causa a fragilidade óssea de mulheres no período pós-menopausa. Nesse cenário, a incidência de osteoporose em mulheres é o dobro do que em homens”, diz o especialista.

A osteoporose é classificada de duas formas: primária e secundária. A primária, não tem uma causa secundária definida. Já a secundária acontece quando outras doenças que comprometem a massa óssea são a causa do surgimento da osteoporose, como alguns tipos de câncer e seu tratamento, doenças inflamatórias em geral (lúpus, artrite reumatoide), deficiência de cálcio e vitamina D, assim como tabagismo, consumo exagerado de álcool e tratamentos à base de corticoides.

Diagnóstico e prevenção

A densitometria óssea ainda é o melhor método para o diagnóstico da osteoporose. O exame, que mede a quantidade de cálcio nos ossos, pesquisa e indica o nível de gravidade da doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável ajuda a prevenir o desenvolvimento desta patologia. Alimentação balanceada, rica no consumo de verduras e legumes, principalmente as de cor verde escura, frutas, na farta ingestão de cálcio e de vitamina D, associada ao baixo consumo de açúcar, exposição ao sol, além de atividade física regular são algumas das formas de tentar evitar ou retardar quadros de osteoporose.

“Atividade física regular também é importante no combate a osteoporose. O ideal seria começar a prática desde a infância, pois isso melhora a “reserva” de osso da criança, e consequentemente a massa óssea na velhice. Já para os adultos, é importante manter uma rotina regular de exercícios, de impacto e com cargas”, explica o médico.

Casa segura e bem iluminada

Quem sofre de osteoporose precisa se preocupar em viver em um local seguro, livre dos riscos de queda, por isso, o especialista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta para a importância de deixar os ambientes domésticos protegidos. “O ideal é que os idosos vivam em casas com boa iluminação, sem tapetes nos quartos, banheiros, cozinha e salas. Cadeiras, poltronas e sofás devem ter braços, que ajudam na hora de a pessoa se levantar. Os pés dos móveis devem ter protetores antiderrapantes”, diz o Dr. Guilherme Laranja.

O médico reforça que barras de apoio devem ser instaladas dentro do box do chuveiro, próximas da pia do banheiro e ao lado do vaso sanitário. Isso reduz o risco de queda e dá mais autonomia ao idoso. Nas escadas, o uso de fita antiderrapante na borda dos degraus ajuda a melhorar a aderência e sinalizam o fim de cada degrau.

 

Artigos

ver tudo

Banner SBH

Banner Snifbrasil

Banner DPM


SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 18.205.176.85 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)