Hora certa:
 

Atualidades

A pneumonia não descansa no verão

O verão de 2014 está entre um dos mais quentes dos últimos anos. Com as temperaturas elevadas, muitos acreditam estar longe das infecções respiratórias, mas infelizmente não é assim. A pneumonia, por exemplo, é muito comum também no verão. A necessidade dos cuidados de prevenção continua, principalmente entre os grupos mais suscetíveis: idosos e crianças menores de cinco anos.

O pneumologista e professor livre docente de pneumologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), José Roberto Jardim, explica que o ar condicionado, tão utilizado no verão, ajuda a proliferar bactérias e fungos e por isso exige manutenção e limpeza constantes. "O uso do ar condicionado acaba trazendo mais infecções, além de ressecar as mucosas nasais, barreiras importantes para filtrar o ar inspirado", diz. Para amenizar a baixa umidade do ar, a recomendação do especialista é beber muita água.

Cerca de 1,6 milhão de mortes - a maioria em idosos e crianças menores de cinco anos - são causadas no mundo a cada ano por uma única bactéria, o pneumococo (Streptococcus pneumoniae), segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). A mesma bactéria pode ser a causadora de um grupo de infecções conhecidas como doenças pneumocócicas (DPs), sendo a pneumonia a mais comum.

Dr. Jardim também explica que o consumo de bebidas geladas pode diminuir a resistência pulmonar, principalmente em idosos ou pessoas com a saúde debilitada. Com a resistência mais baixa, o risco da pneumonia é maior. "Alimentação adequada e atividade física são fundamentais para melhorar a resistência do organismo e, consequentemente, diminuir as infecções", diz.

É preciso ficar atento aos sinais da pneumonia, alerta o médico. Em geral, os sintomas são tosse e febre alta. Os idosos nem sempre apresentam estes sintomas, o que pode dificultar o diagnóstico. "Negligenciar o quadro e desconhecer os sintomas podem trazer graves consequências. A vacinação ainda é a melhor forma de prevenir a pneumonia".

Uma pesquisa mostrou que quase 9 em cada 10 brasileiros acima de 50 anos acreditam não correr risco de contrair pneumonia. O levantamento Perigo Ignorado: as doenças pneumocócicas e a maturidade, realizado com 504 entrevistados pela GfK HealthCare reforçou o desconhecimento a respeito da gravidade das infecções causadas pelo pneumococo no País. O estudo mostrou ainda que 71% dos adultos brasileiros com mais de 50 anos acreditam que as vacinas são uma parte importante da saúde preventiva e do envelhecimento saudável. No entanto, a taxa de vacinação do brasileiro maior de 50 anos contra as doenças pneumocócicas é baixa, apenas 21%.





SnifDoctor é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifDoctor é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifdoctor.com.br. Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifDoctor, pelo e-mail dpm@dpm.srv.br

Seu IP: 18.207.132.226 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)